Exclusivo: Vilã de Gloria Pires na próxima novela de João Emanuel Carneiro ganha nome

Author

Categories

Share

Gloria Pires

Gloria Pires
Gloria Pires encabeça elenco da próxima novela de João Emanuel Carneiro, Olho Por Olho; estreia segue prevista para 2022 (Imagem: Ellen Soares / Globo)

A personagem de Gloria Pires em Olho Por Olho, próxima novela de João Emanuel Carneiro, vai atender por Zoé. Isso se o autor não mudar de ideia até o início das gravações, previsto para o segundo semestre de 2021; a estreia ficou para o ano seguinte, após o remake de Pantanal, conforme adiantado por esta coluna do RD1 e confirmado ontem (16) em entrevista de João Emanuel ao Conversa com Bial.

Zoé é mãe da deficiente visual Maíra, a cargo de Letícia Colin. A julgar pelas características já conhecidas da figura – que rejeita a filha cega, numa relação de animosidade –, a Zoé de Gloria tem tudo para reluzir na galeria de vilãs de JEC.

O autor é “pai” de Bárbara (Giovanna Antonelli) de Da Cor do Pecado (2004), Leona (Carolina Dieckmann) em Cobras & Lagartos (2006), Flora (Patrícia Pillar) de A Favorita (2008), Carminha (Adriana Esteves) em Avenida Brasil (2012), Atena (Giovanna de novo) em A Regra do Jogo (2015) e a dupla Karola (Deborah Secco) e Laureta (Adriana outra vez) em Segundo Sol (2018).

Cabe lembrar que Olho Por Olho conta, até o momento, com Chay Suede, Dani Calabresa, Edson Celulari, Eliane Giardini, Humberto Carrão, Kelzy Ecard, Klebber Toledo, Lilia Cabral, Miguel Falabella, Sophie Charlotte, Suzy Rêgo, Tonico Pereira, Tony Ramos e Vera Fischer.

A direção artística cabe a Carlos Araújo, de Éramos Seis (2019). Gustavo Fernandez, de Órfãos da Terra (2019), responde pela direção geral. Carneiro, aliás, elogiou Fernandez no ‘Conversa’ exibido nesta sexta-feira (16). Foi ele o responsável pela sequência, sem falas, em que Carminha chora após sabotar o barco do amante Max (Marcello Novaes), em ‘Avenida’.

Falando nisso…

O burburinho sobre a suposta inversão de Pantanal e Olho Por Olho cheira à “queda de braço” entre Silvio de Abreu, diretor de dramaturgia da Globo, e Ricardo Waddington, diretor de produção da casa. A coluna está encafifada desde a matéria do Fantástico sobre a nova versão do clássico de Benedito Ruy Barbosa – que, anos atrás, tornou pública sua desavença com Silvio. No “show da vida”, apenas Ricardo se manifestou a respeito de um projeto que, pressupõe-se, está sob o guarda-chuva do departamento de Abreu.

Uma mudança na fila acarretaria problemas para Glória Perez. É que a autora faz questão de repetir, em sua próxima empreitada às 21h, a parceria de A Força do Querer (2017) com Rogério Gomes, escalado para a direção artística de Pantanal. E também para a produção da reedição do folhetim da Manchete. As filmagens in loco serão realizadas no período de seca, no meio do ano – assim como no extinto canal –; na década de 1980, a Globo desistiu do texto justamente pela inviabilidade de gravar durante a cheia, entre a primavera e o verão.

Gloria Pires
Luma de Oliveira (Ana Maria) em Meu Bem, Meu Mal; trama está disponível no Globoplay (Imagem: Divulgação / Globo)

Vale a pena ver de novo 1

Disponível no Globoplay desde o último dia 28, Meu Bem, Meu Mal impressiona pela fragilidade do enredo. A impressão é que Cassiano Gabus Mendes não sabia para onde levar a trama, concebida às pressas para substituir Rainha da Sucata – em meio às mudanças que a Globo implantou, naquele 1990, por conta do êxito de Pantanal na concorrência. É, claramente, um produto de seu tempo, com achincalhe a homossexuais e desrespeito às mulheres. Apesar disso, vale espiar. Os diálogos de Cassiano, o elenco, a direção e a produção tornam o produto final quase irresistível; mesmo achando “tensa”, não consigo parar de ver, especialmente por valores como Jorge Dória (Emílio), Yoná Magalhães (Valentina) e Zilda Cardoso (Elza).

No mais, há de se lamentar que uma personagem tão incrível como Ana Maria, a oportunista apaixonada, tenha caído nas mãos de uma atriz de quase nenhum recurso como era Luma de Oliveira.

Gloria Pires
Marco Pigossi (Bento) em Sangue Bom; folhetim de 2013, disponível no Globoplay, serve como reprise alternativa às 19h30 (Imagem: Zé Paulo Cardeal / Globo)

Vale a pena ver de novo 2

E enquanto a Globo reapresenta a nada saudosa, para mim, Haja Coração (2016), decidi rever Sangue Bom (2013), bem-sucedida incursão de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari às 19h. O título, também disponível no Globoplay, conta com uma primeira semana eletrizante! Na apresentação dos principais personagens, Sophie Charlotte como Amora Campana, destoa dos demais. A atriz está um “tantinho” acima do tom neste início… Impossível, porém, não se apaixonar de cara por Malu (Fernanda Vasconcellos), Giane (Isabelle Drummond) e Bento (Marco Pigossi) – mocinho que pratica sexo casual com a amiga Charlene (Mayana Neiva), inconcebível no antiquado remake de Sassaricando (1987).

Vale a pena ver de novo 3

Outra dica para quem quer fugir de Haja Coração: a partir do dia 9, 19h30, a Rede Família, emissora do Grupo Record situada no interior de São Paulo, reprisa Vidas Cruzadas (2000). Trata-se do primeiro repeteco da novela estrelada por Patrícia de Sabrit (Letícia / Luísa) e Dalton Vigh (Lucas) – destaques como par romântico de Pérola Negra (1998), do SBT. Também no elenco Alexandre Barillari, Ângela Leal, Gianfrancesco Guarnieri, Laura Cardoso e Sérgio Britto. É possível acompanhar ‘Vidas’ pelo sinal ao vivo disponibilizado no site da estação, que, atualmente, reexibe Cidadão Brasileiro (2006) e Pecado Mortal (2013), às 14h10 e 19h30.

Gloria Pires
Carlos Henrique Marques, colaborador nas novelas de Íris Abravanel, está à frente de três longas-metragens produzidos no exterior (Imagem: Divulgação)

Enquanto o SBT não reativa seu departamento de dramaturgia, o roteirista Carlos Henrique Marques – colaborador de todas as tramas “para a família” de Íris Abravanel – ingressa no mercado americano e inglês com três longas-metragens em fase de pré-produção: Rosa The Fighter, Henry e Guinevere. O primeiro, inclusive, foi premiado Cannes Screenplay Festival, na Categoria Drama, e indicado como melhor roteiro original no Burbank Film Festival e no Beverly Hills Film Festival na Califórnia, conta com a parceria da New York Film Academy, responsável por fornecer equipamento e equipe de filmagem.

O post Exclusivo: Vilã de Gloria Pires na próxima novela de João Emanuel Carneiro ganha nome apareceu primeiro em RD1 → Audiência da TV, Notícias da TV e Famosos.

Author

Share